Três coisas que eu aprendi trabalhando em empregos tóxicos

Três coisas que eu aprendi trabalhando em empregos tóxicos

Com frequência empreendemos para fugir de empregos tóxicos, onde nos sentimos desvalorizados ou até mesmo sofremos com situações reais como atraso de salário ou assédio moral. Nossa carteira está assinada mas a insatisfação só se acumula ao final da jornada. Comigo não foi diferente.

Tive empregos muito bons e muito ruins. Empregos que pagavam o salário certinho mas havia muito estresse na convivência e nas lideranças. Outros que eu amava o trabalho, a equipe e a chefia, mas o dono insistia em atrasar o salário todos os meses. Assim encontrei no empreendedorismo formas de sair um pouco desse ciclo que para mim era vicioso. Mas aprendi muito.

Aqui estão três coisas que vivi e que me ensinaram algo na jornada:

1. Se você odeia o que você faz, provavelmente vai odiar o ambiente

Se você se sente desvalorizado, odeia o trabalho e encara tarefas simples de um jeito pesado, é bem provável que isso continue contaminando todo o resto, como uma cadeia. Tive um trabalho onde eu amava o que fazia, mas o ambiente era tóxico. Até eu poder sair, aguentei firme graças ao trabalho em si que era recompensador. Isso me ajudava a atravessar os dias mais complicados.

2. Entender que coisas sistêmicas às vezes não podem ser mudadas

Você curte seu emprego, trabalha lá há anos, mas percebe que não sai do lugar. Tudo que você tentou implementar ou fazer diferente foi rechaçado ou sabotado. Então é a hora de você mudar (de emprego, de área, do que for). Algumas empresas simplesmente não se preocupam em criar uma cultura fortalecida de forma interna, que faça seus empregados quererem estar ali. Isso acaba tornando tudo efêmero e insuficiente, mas se lembre: isso não é problema seu. Você não é o dono. Se você tentou, deu o seu melhor para resolver problemas e ninguém ligou ou você sofreu represálias por tentar mudar um sistema, é hora de você botar a viola no saco e ter um plano B.

3. É essencial ter um plano B antes de mais nada

Se o ambiente é tóxico demais, não saia fazendo loucuras e tenha um plano B. Isso vai te ajudar a atravessar momentos terríveis, acredite em mim! Esse plano B pode ser:

  • Reserva de emergência financeira para ficar um tempo sem trabalhar;
  • Prospecção, novas propostas de emprego, outros locais para trabalhar, outras atividades;
  • Empreender e virar seu próprio chefe.

Dentre outras coisas. Mas preste atenção no seguinte: tudo muda de uma pessoa pra outra. O que você busca não é o mesmo do outro. Não caia em armadilhas. Procure se conhecer e coloque sob escrutínio quem você é e o que você realmente quer. Só assim você poderá traçar estratégias inteligentes.

Deixe uma resposta